MATÉRIAS PUBLICADAS

Sentimento de esperança para que a pandemia acabe logo

Sentimento de esperança para que a pandemia acabe logo


A enfermeira Jéssica Pires de Camargo, de 30 anos, assumiu neste domingo (17) a tarefa de aplicar as primeiras doses da Coronavac no país, a vacina do Instituto Butantan e do laboratório chinês Sinovac contra a Covid-19.

Ao vacinar a colega de profissão Mônica Calazans, de 54 anos, que tornou-se a primeira pessoa a ser imunizada no Brasil, Jéssica afirma que lembrou de todos os profissionais de saúde do país que perderam a vida na linha de frente contra a Covid-19 nos últimos meses.

    “Eu não perdi amigos. Mas pensei muito na situação atual do nosso país, agora que o número de casos voltou a crescer. [Os profissionais de saúde] estão cansados? Estão. Mas a gente não pode perder essa conscientização de que o trabalho ainda continua. A chegada da vacina traz um sentimento de esperança para que agora as coisas se encaminhem, esperança que a pandemia acabe logo. E que as vidas perdidas não sejam esquecidas”, afirmou a enfermeira.

    'Não tenham medo', diz Mônica Calazans, 1ª pessoa a ser vacinada no Brasil
    Butantan envia nesta segunda à Anvisa pedido para uso emergencial das doses da CoronaVac envasadas no Brasil
    Governo de SP cria site para pré-cadastro na campanha de imunização contra Covid-19 entre grupos prioritários do estado

A enfermeira Monica Calazans, de 54 anos, recebe uma dose da vacina Coronavac contra a Covid-19 no Hospital das Clínicas, em São Paulo, depois que a Anvisa aprovou seu uso emergencial neste domingo (17) — Foto: Amanda Perobelli/Reuters

A enfermeira Monica Calazans, de 54 anos, recebe uma dose da vacina Coronavac contra a Covid-19 no Hospital das Clínicas, em São Paulo, depois que a Anvisa aprovou seu uso emergencial neste domingo (17) — Foto: Amanda Perobelli/Reuters

Na profissão há oito anos, Jéssica não trabalha diretamente no trato com pacientes com Covid-19, mas há meses atua na retaguarda do controle da pandemia, na coordenaria de Controle de Doenças da Secretaria Estadual da Saúde de São Paulo.

“Foi um momento especial. Um sentimento de orgulho e esperança ao mesmo tempo, porque há muito tempo a gente está trabalhando com essa questão da vacinação contra o coronavírus. São muitos profissionais envolvidos, como os trabalhadores que estão na linha de frente”, completou.

Ela conta que foi informada na sexta-feira (15) que seria a responsável por aplicar as primeiras doses da vacina Coronavac no Brasil e diz que foi surpreendida com a notícia.

“Foi uma surpresa. Eu não achava que seria a primeira. Senti muito orgulho por conta disso, por saber que todo aquele trabalho que a gente fez valeu a pena. É um momento histórico que com certeza vou contar no futuro para minha filha, que hoje tem apenas um ano e meio”, afirma.




< Voltar

Copyright 2021 - Rádio Multi FM    •    Grupo Alphanet Hosting